blogue

26/01/16

População na União Europeia: quantos somos e como vivemos?

"As transformações demográficas, em conjunto com as migrações, a globalização e as alterações climáticas são consideradas um dos principais desafios da União Europeia na atualidade. Nas últimas décadas, o perfil da população europeia modificou-se devido, em parte, ao envelhecimento da sociedade, às alterações nos padrões de constituição e estrutura da família e nos papéis dos homens e das mulheres."
 
No final de 2015, o Eurostat publicou o seu mais recente relatório sobre a população na União Europeia. Em sete capítulos, o relatório "People in the EU: who are we and how do we live?" fornece uma descrição detalhada da população, dos agregados familiares e da habitação que "[...] ajuda a perceber a situação demográfica, económica e social dos habitantes da União."
 
Interpretar e trabalhar sobre estes dados é fundamental para incrementar a prosperidade e a qualidade de vida na Europa, definindo-se e implementando políticas e ações concretas. Num continente cada vez mais envelhecido, onde os desafios sociais e económicos crescem ao mesmo ritmo do envelhecimento, resumimos em baixo os indicadores mais importantes deste relatório.
 
Envelhecimento significativo da população nos últimos 20 anos
 
"Em 2014, a média de idade da população da União Europeia (UE) era 42.2 anos, significando que metade da população era jovem e a outra metade tinha mais do que 42.2 anos. Ao nível dos Estados-membros, a população mais jovem encontrava-se na Irlanda (36.0 anos de média de idade), no Chipre (36.8 anos), no Luxemburgo e na Polónia (39.2 em ambos) e no Reino Unido (39.9). Contrariamente, a população mais velha localizava-se na Alemanha (45.6 anos), na Itália (44.7 anos), na Bulgária (43.2 anos), em Portugal (43.1 anos) e na Grécia (43.0 anos).
 
Nos últimos vinte anos, a média de idade da população da UE aumentou seis anos, crescendo de 36.2 anos em 1994. Esta tendência é visível em todos os Estados-membros, particularmente na Lituânia, onde o aumento foi quase de 9 anos (8.9 anos) desde 1994. Aumentos de sete anos ou mais foram registados na Alemanha e em Portugal (7.6 anos em cada), bem como na Áustria e na Roménia (7.0 anos em cada).
 
 
 
Média de idade da população na UE em 2014 © Eurostat
 
 
Um terço dos agregados familiares da UE é composto por uma pessoa
 
Os agregados familiares compostos por uma pessoa correspondem a quase um terço (31.8%) de todos os agregados na UE em 2014. As percentagens mais elevadas foram registadas nos três Estados-membros nórdicos - Dinamarca (45.0%), Finlândia (40.8%) e Suécia (39.9%) -, bem como na Alemanha (40.5%). Em contraste, os agregados familiares compostos por uma pessoa representam cerca de um em cada cinco no Chipre (20.8%), em Portugal (21.4%), na Irlanda (22.0% em 2013), na Roménia (22.1%) e na Hungria (22.8%).
 
Mais de 40% das pessoas que vivem sozinhas da UE têm 65 anos ou mais
 
41.8% dos agregados familiares da UE com apenas uma pessoa eram compostos, em 2014, por indivíduos com 65 anos ou mais. Em oito Estados-membros, os que tinham 65 anos ou mais eram, inclusivamente, a maioria: Croácia (61.9%), Roménia (59.1%), Portugal (58.5%), Bulgária (57.4%), Letónia (52.8%), Lituânia (52.4%), Malta (52.1%) e Eslováquia (50.8%). 
 
Em 2014, os agregados familiares da UE com apenas uma pessoa eram maioritariamente formados por mulheres que representavam 56.6% desses agregados. Tal registava-se em todos os Estados-membros, embora em diferentes proporções. A percentagem de mulheres em agregados familiares com apenas uma pessoa era particularmente alta na Letónia (68.7%), na Hungria (68.3%), na Eslováquia (66.8%) e na Polónia (66.4%)."
 
 
 
Percentagem de pessoas com 65 anos ou mais entre os agregados familiares com apenas um elemento, nos Estados-membros daUE, em 2014 © Eurostat
 
 
O relatório completo "People in the EU: who are we and how do we live?" pode ser consultado aqui e um infográfico e mapas temáticos interativos estão também disponíveis no site do Eurostat. 
 
Fonte das imagens: relatório Eurostat.