blogue

26/01/16

Amor intemporal: 70 anos depois, casal recria as fotos do seu casamento

«Cao Yuehua e a sua alma gémea, Wang Deyi, conheceram-se em 1943, em Kunming (China) quando foram a um baile organizado pela National Southwestern Associated University. “O meu pai pediu à minha mãe para dançar e apaixonaram-se um pelo outro à primeira vista”, disse o filho mais novo do casal, Cao Pangpei, com 60 anos de idade. Durante a II Guerra Mundial, Cao foi inesperada e abruptamente separado de Wang ao ser enviado como intérprete do general norte-americano Joseph Stilwell para a frente de guerra indiana. Não teve sequer tempo de dizer à sua amada que partia e teve de confiar a mensagem a um amigo comum enquanto se encaminhava para o aeroporto. 
 
 
“Ele era um intérprete, não um soldado. Certamente, estaria assustado com as balas e as bombas no campo de batalha real”, explicou o filho. “O meu pai disse à minha mãe que ela foi a primeira pessoa em quem ele pensou quando rastejava desesperadamente nas trincheiras.” Durante o conflito, Cao e Wang trocaram cartas e poemas de amor em Inglês através do correio militar. A primeira carta que Wang recebeu tinha uma foto de Cao. Guardou-a até ao final dos anos sessenta, altura da Revolução Cultural chinesa, quando teve de ser destruída por o seu marido aparecer com um uniforme militar norte-americano. 
 
Depois da guerra terminar, em 1945, os dois reuniram-se na estação de comboios de Kunming após estarem mais de um ano separados. Foi aí, e nesse momento, que Cao pediu Wang em casamento, com um anel de rubis, declarando-se: “minha querida, voltei!” Mais tarde, quando os quatro filhos do casal ouviram a sua linda história, encorajaram-nos a continuarem a celebrar o seu amor. Seguindo o seu conselho, Wang e Cao revisitaram os locais e as universidades que desempenharam um papel fundamental na sua história de amor. Em 2005, celebraram as Bodas de Ouro regressando ao local onde casaram e recriaram esse dia tão especial. 
 
 
 
“Estão juntos há tanto tempo e o amor nunca desapareceu. A relação deles é tão forte que mesmo durante a época mais negra – a Revolução Cultural –, quando o meu pai foi submetido a julgamento pelo seu serviço ao exército norte-americano, confiaram um no outro e continuaram a apoiar-se para ultrapassar as adversidades”, revelou o Cao mais novo. “Os meus pais têm 98 anos. Atualmente, mal se conseguem lembrar de várias coisas da sua vida, mas conseguem recitar os poemas de amor que escreveram um ao outro durante a guerra."
 
 
Uma verdadeira inspiração para todos nós! Fonte do artigo: Anna Graget, My Modern Met.