blogue

28/09/15

DGS e CVE lançam manual sobre Nutrição e Doença de Alzheimer

O manual Nutrição e Doença de Alzheimer, lançado pela Direção-Geral da Saúde, em parceria com o Centro Virtual sobre o Envelhecimento, aborda o papel da nutrição e de um estilo de vida saudável na prevenção e progressão da doença de Alzheimer. 

Setembro é um mês particularmente dedicado à consciencialização da sociedade sobre a doença de Alzheimer. Assim, e após o lançamento do projeto de sensibilização Banco de Memórias, o Centro Virtual sobre o Envelhecimento continua a alertar a sociedade para esta causa desta vez com a publicação, em parceria com a Direção-Geral da Saúde, do manual Nutrição e Doença de Alzheimer

"A doença de Alzheimer é a forma mais comum de demência estimando-se que em Portugal existam cerca de 182.000 pessoas com demência, das quais 130.000 representam a doença de Alzheimer.

Ainda não existe nenhuma intervenção médica que possa prevenir a doença de Alzheimer. No entanto, já se identificaram vários fatores de risco associados ao desenvolvimento de demência entre os quais se destacam a idade, o sexo, a genética, a ocorrência de traumatismo crânio encefálico, o nível de escolaridade, a presença de doenças cardiovasculares, diabetes mellitus tipo 2, a inatividade física e a malnutrição. Para além destes fatores de risco identificados, pensa-se que um estilo de vida saudável, e em particular um bom estado nutricional ao longo do ciclo de vida, tenham um importante papel na prevenção e progressão da doença de Alzheimer." 

O manual Nutrição e Doença de Alzheimer, lançado pela Direção-Geral da Saúde, em parceria com o Centro Virtual sobre o Envelhecimento, aborda o papel da nutrição e de um estilo de vida saudável na prevenção e progressão da doença de Alzheimer. 

Este documeto "[...] organiza, de forma resumida, o que se sabe sobre a influência da nutrição na prevenção e progressão da doença de Alzheimer e, em particular, aborda os nutrientes mais salientes nesta área, alguns tipos de padrões alimentares (Dieta Mediterrânea e Dieta MIND), e ainda informação relativa à evidência científica do papel protetor de alimentos como o peixe, hortícolas, fruta e leguminosas. 

É de extrema importância que, tanto para doentes, como para os seus familiares e para os prestadores de cuidados, se tenha o maior conhecimento possível acerca da doença de Alzheimer. Contudo, pretende-se que este manual vá além do fornecimento do conhecimento científico mais recente. Assim, é dada especial atenção ao papel dos cuidadores, descrevendo um conjunto de cuidados práticos a ter em conta na alimentação dos doentes de Alzheimer em paralelo, e se possível, com o apoio de uma equipa multidisciplinar na área da saúde onde deveriam estar também incluídos profissionais de nutrição e psicólogos."
 
Poderá fazer o download do manual no documento anexo a este artigo ou através desta ligação
 
Outros artigos do Centro Virtual sobre alimentação, Alzheimer e envelhecimento: